quarta-feira, 9 de abril de 2014

A evolução do Yoga



É estranho como o ser humano se comporta diante de mudanças.
Lembram quando apareceram os primeiros celulares? 
Eram enormes, tinham somente a função de fazer e receber chamadas e ainda eram considerados artigos de luxo.
A tecnologia avançou e hoje carregamos conosco celulares que são melhores que muitos computadores. O que antes era artigo de luxo virou necessidade. Pelo menos para a grande maioria das pessoas.
Mas imagine você, uma pessoa tradicional, lutando para que os primeiros celulares continuassem no mercado e criticando ferozmente todo o avanço tecnológico. 
Meio surreal, não acha?

Tenho visto e ouvido, desde que comecei a praticar Yoga, grandes discussões sobre o que é Yoga, sobre qual o Yoga mais autêntico, sobre as origens do Yoga, sobre o que é certo, errado, verdadeiro, falso e assim por diante.
Nunca entrei nessa porque enquanto as pessoas discutiam suas verdades, achei mais útil estudar, praticar e entender o Yoga.
Estudei muito filosofia e mitologia. Fui além da teoria exclusiva dedicada ao Yoga.
E minha conclusão é que o Yoga evoluiu.
Depois de anos em baixa, as práticas de Yoga vêm ganhando força novamente.
Não é de admirar que o Yoga que está em alta é justamente o que foge do tradicional.
Com essa linha de pensamento, volto a falar do celular.
Por mais que avanços e mudanças tenham acontecido, ele continua sendo um celular: menor, mais moderno, com mais funções.
O Yoga também continua sendo Yoga.
Não importa se a prática é Vinyasa Flow, Acro Yoga, Hot Yoga, Iyengar Yoga e agora o SUP Yoga.
Não importa se o Yoga é considerado um caminho espiritual ou apenas uma filosofia prática.
O que realmente importa é se identificar e praticar o método que você escolheu da melhor forma possível. Ou vários deles. 
Yoga é integração, união. 
União de você com Deus, ou com a sua natureza divina. 
União com a natureza, com o Universo. 
Com as outras pessoas e com você mesmo, com sua essência.
Yoga é o "todos somos um".
Mas e na prática, quem fala tudo isso, faz?
Como eu gostaria que sim.

O Ahimsa, palavra sânscrita que significa não agressão, comparo aqui com o fio da tomada usado para carregar a bateria do celular.  
Sattva, palavra sânscrita que significa verdade, ou autenticidade, comparo aqui com a própria bateria do aparelho.
Assim como eletricidade e bateria são essenciais para o funcionamento do celular, Ahimsa e Sattva são fundamentais em qualquer prática de Yoga.
Curioso é que muito professor de Yoga esquece disso.

Se você ainda não decidiu sobre qual linha seguir, desconfie daquelas que agridem outros métodos e se dizem donas da verdade.
Essas estão indo contra esses dois princípios básicos que citei acima:
Ahimsa e Sattva.
Um bom professor ensina seu método sem precisar falar mal de nenhum outro. Mesmo se a desculpa for alertar o praticante, acredito que todos somos inteligentes o suficiente para não cair em roubadas, ou percebê-las a tempo. Assim como também somos capazes de discernir o que achamos certo e errado para nós. E isso é muito pessoal.

Essas são opiniões próprias.
Encontrei no Yoga minha filosofia de vida.
Praticar ásanas, pranayamas, meditação e mantras mudou minha vida.
Se faço isso em uma escola de Yoga, na sala da minha casa ou em cima de uma prancha, continua sendo Yoga.
Minha proposta como professora é ensinar o praticante a usar todas essas ferramentas que o Yoga dispõe, com o objetivo do aluno se conhecer mais e então, ser uma pessoa cada vez melhor.

Carolina Carvalho | ByNina



'Quando o amor é a condição para os nossos atos, não há outro resultado se não o bem.'
(frase citada pela minha amiga Roberta Gomes, em uma das nossas conversas sobre Yoga. Eu assino embaixo!)

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Pequenas Satisfações Humanas

Adorei e achei super criativo!
Segue pra vocês...






FONTE: http://pequenassatisfacoes.tumblr.com/

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

SUP YOGA - Tudo que você precisa saber - por Carolina Carvalho



INÍCIO

Comecei a praticar Stand Up Paddle (SUP) em 2011.
Foi amor a primeira remada!

Até então desconhecia o SUP YOGA. Remei muito, antes de começar.
No verão de 2012 para 2013 comecei a praticar ásanas e meditação em cima da prancha. Li algumas reportagens sobre SUP YOGA, mas todas de fora do Brasil. Mas por mais experiência que eu tivesse com Yoga, dou aula e pratico há 11 anos, senti necessidade de praticar sozinha antes, para depois elaborar uma aula.

Em março desse ano, em Balneário Camboriú, conheci uma amiga (Suelen Sandri) que tinha passado 2 anos na Austrália. Ela teve experiência com o SUP YOGA lá, e fiz uma aula com ela e mais uns amigos. Ela deu metade da aula e eu a outra metade. Identifiquei-me tanto que depois dessa experiência comecei a formar grupos e dar aulas.


A primeira aula que eu dei mesmo tinham pessoas participando de 13 a 68 anos.
Foi muito bom. Além dos ásanas, dei meditação, relaxamento e vocalização de mantras.
Naquele dia, naquela aula, tive certeza que era nisso que eu queria me dedicar.

Primeira prática de SUP YOGA (maio/2013)

Workshop SUP YOGA (agosto/3013)

COMO CONDUZIR UMA BOA PRÁTICA

Vou contar um pouco sobre uma experiência muito boa que tive com o Yoga. Dei aulas gratuitas de Yoga durante quase um ano pela ONG Vida Ativa, ligada a prefeitura de São Paulo, no parque da Sabesp, no ano de 2010. Estendi essa experiência de Yoga gratuita para a escola que eu dava aula, direcionada a pessoas que não tinham condições de pagar a mensalidade. Dar aula para pessoas de todas as idades, classes sociais e diferentes crenças e cultura foi enriquecedor. Eu precisava falar uma língua que todos entendessem, e adaptar a aula pra satisfazer tanto alunos mais flexíveis, quanto os com mais dificuldade.
Essa experiência foi fundamental para eu elaborar o modelo de aula de SUP YOGA que dou hoje.
Procuro simplificar o máximo a teoria, mas de forma que na prática, as pessoas entendam o que estão fazendo.

A primeira coisa que eu falo antes de entrar no mar é sobre a nova experiência que os alunos vão encarar. Como tudo que é novo e desconhecido acaba gerando uma certa ansiedade, e muitas vezes insegurança, imagina uma pessoa que nunca remou, nunca fez Yoga, e de repente vai encarar o equilíbrio em cima de uma prancha junto com os exercícios! O que reparei é que muita gente, ao subir na prancha pela primeira vez, tem dificuldade no equilíbrio por estar com as pernas bambas. Então eu falo que as pernas bambas não estão bambas porque a pessoa não tem equilíbrio, mas sim, porque está insegura.
Qual a primeira coisa que você sente ao levar um susto? Faltam as pernas!
O medo e a insegurança provocam isso. Quando o aluno toma consciência disso, cessa a insegurança e
melhora o equilíbrio na hora.

O SUP YOGA promove uma consciência corporal incrível.
Quanto mais confiança o aluno ganha no mar, nos exercícios, mais confiança ele tem nele mesmo.
Isso vai refletir fora da água, nas situações que temos que enfrentar diariamente na vida.

Uma boa aula tem que atender bem todos os alunos.
Mais de 10 alunos fica complicado se só tem um professor, pois todos têm que ver e ouvir as instruções para os exercícios, e o professor, por sua vez tem que estar atento para que os alunos façam as posições corretamente. É muito importante saber descrever o ásana (posição), não só executar e pedir que repitam. Como não dá para corrigir os alunos durante a aula indo até eles, a correção tem que ser oral e bem explicada. E orientar também sobre a respiração. Alternar os ásanas com exercícios respiratórios é muito bom.

Outra coisa que eu faço nas aulas é relaxamento. Mas esse só deve ser feito se o mar estiver bem liso, caso contrário ao invés de relaxar, os alunos se sentirão mareados. O mesmo vale para a meditação.

Gosto muito de vocalizar mantras, sempre traduzindo o que está sendo cantado e dou preferência por kirtans (cânticos) curtos ou a vocalização do Om. 
Os mantras dão uma descontraída na aula, provocam extroversão nos kirtans, ou introspecção nos japas, como o Om. Além disso promovem muitos outros benefícios se praticados regularmente.

Mesmo assim, para o aluno de SUP YOGA se beneficiar ainda mais da experiência, acho importante uma aula teórica sobre Yoga. Quanto mais o aluno compreender os objetivos da prática e assimilar a filosofia do Yoga, melhor. Praticar ambos seria o ideal. 

Mais imagens no FACEBOOK

DIFERENÇAS ENTRE O SUP YOGA E O YOGA

A maior diferença que eu vejo é que no Yoga, você faz a prática no chão, uma superfície estável. Já no SUP YOGA você pratica sobre a instabilidade do mar e o equilíbrio na prancha, dobrando o desafio. A vantagem é que tanto a consciência corporal quanto o equilíbrio, por serem mais exigidos, acabam trazendo resultados mais rápidos do que com o praticante de Yoga.

Já a meditação é mais complicada no SUP YOGA, pois a instabilidade do mar pode, nesse caso, prejudicar a concentração durante um período mais longo. Por outro lado, nos exercícios, onde a permanência é menor e a concentração é mais exigida, há um equilíbrio, o que então facilita muito o aluno a desconectar dos pensamentos e problemas internos e focar mais ainda na aula.


Quanto mais experiência o professor tiver, melhor vai ser a aula.
Mas não basta também ser um ótimo professor de Yoga e não ter experiência com o mar.
É preciso conhecer as correntes, os ventos e ficar atento ao clima. É preciso passar essa segurança para os alunos e saber como proceder caso um vento forte ou correnteza comece durante a aula.



Entrevista para o Jornal Mundo Pop de Balneário Camboriú


INDICAÇÕES
- qualquer pessoa que queira fazer uma atividade física diferente de tudo que já fez;
- surfistas que querem melhorar o desempenho nas ondas;
- praticantes de Yoga que querem aperfeiçoar suas técnicas.

BENEFÍCIOS
- aumento do equilíbrio, da concentração, da força muscular, da consciência corporal;
- aumento da capacidade respiratória;
- conexão com a natureza, relaxamento, redução do estresse;
- autoconhecimento, motivação, superação que levam ao aumento da autoconfiança e autoestima.

O praticante tem que em primeiro lugar, gostar do que está fazendo. 
O maior benefício é justamente esse. 
Fazer a aula com amor, dedicação e sair dela de alma lavada.


Carolina Carvalho (ByNina)


APOIOS: 







CONTATO para aulas e Workshops: bynina@hotmail.com

domingo, 22 de setembro de 2013

Felicidade - por Hélio Couto



Essa é uma questão muito simples na verdade.
Mas, os seres humanos fazem de tudo para impedir isso.
Quando é que se tem a produção ideal de endorfinas? Quando se faz o bem.
Quanto mais bem se faz mais se produz. Não existe limite para isso.
Se a pessoa come um pedaço de pudim ela produz um pouco de endorfina.
A lógica diz que se ela comer mais produzirá mais, mas não é assim que funciona.
A partir de um ponto a produção para. Então comer um quilo de pudim não resolve.
Só existe uma coisa que produz endorfina sem limite. Fazer o bem.
É isso que a ferramenta da Ressonância Harmônica procura fazer e passar para as pessoas. As casas/carros/apartamentos que as pessoas pedem são brinquedos que elas acham que as deixarão felizes. Isso vai até certo ponto e para de funcionar. Não adianta comer um quilo de pudim! Todos os brinquedos do mundo farão desta forma. Depois de certo tempo não produzem mais endorfinas. E endorfina é o que te faz feliz.
Daí procura-se um carro maior, um pneu maior, uma casa maior e assim por diante. Até que o limite de novo é alcançado e começa tudo de novo. Isso é levado até a morte normalmente.
Sempre a felicidade é colocada num novo objetivo material. Numa busca sem fim e infrutífera. O fornecimento de endorfinas pode ser ilimitado, mas só se fizermos o que está na nossa programação. No nosso DNA. Ninguém sabe por que é assim, mas se fizer o bem não existe limite de endorfina para você receber.
Essa é a programação do Universo. É um condicionamento pavlovliano. Se o cavalo pular o obstáculo ganha um prêmio. Puro condicionamento. Os seres humanos estão na mesma situação. Se fizerem o que é certo ganham endorfina, senão não ganham. O estímulo é poderoso. Acontece que a lógica aristotélica impede que isso funcione como devia funcionar. Associam-se os brinquedinhos com a endorfina e daí se pensa que mais brinquedo significa mais endorfina.
A programação do universo não é essa. Neste ponto o leitor deve estar se perguntando que tipo de bem e em que quantidade deve fazer para ganhar endorfinas.
Ajudar velhinhas a atravessarem a rua no farol com certeza produz endorfinas. Sendo assim já está pensando em ficar o dia todo atravessando as velhinhas de um lado para o outro! Certo? Com certeza o ganho será grande, mas não o suficiente.
O ser humano precisa de muita endorfina! É preciso fazer algo maior. Quanto maior, mais endorfina. Evidentemente que por lógica chegaremos a seguinte conclusão: ajudar uma velhinha = x endorfinas. Ajudar 100 velhinhas = 100x endorfinas. Ajudar 1 milhão de velhinhas = 1 milhãoX endorfinas. Ajudar 7 bilhões de humanos = 7bilhões X endorfinas.
Como tudo depende da consciência da realidade que a pessoa tem, fazer o bem implica em expandir a complexidade da consciência da humanidade. Ensinar como funciona o universo. É por isso que todo avatar vem para ensinar a humanidade a ajudar o próximo. A fazer o bem. Só que as pessoas entendem que o avatar está atrapalhando os negócios. Portanto, quanto mais pessoas mais endorfinas. E o processo não é linear, é exponencial. A quantidade de endorfinas recebida não segue essa regra simples. É muito maior que isso. Atentem para o detalhe que endorfina está sendo uma metáfora do que se recebe, mas também se recebe endorfina. Em vista disto, não é fácil? Sim. Mas, quem faz isso? Mahatma Gandhi, Martin Luther King, Nelson Mandela.
E os demais? Onde estão? São pouquíssimos aqueles que fazem isso. E toda vez que a pessoa recebe a Ressonância ela recebe um convite para fazer isso. E qual é a resposta: estou muito ocupado. Tenho outras coisas para fazer. E vão atrás de outros brinquedos.
Não tem nada de errado com casa/carro/apartamento, mas a dois mil anos atrás foi dito: “procurai primeiro o Reino dos Céus e tudo o mais vos será dado por acréscimo”. O que não ficou claro na afirmação acima? Foi prometido tudo. Se primeiro fizer o bem.
Primeiro faz o bem, depois ganha o tudo. Só que a humanidade inverteu isso. Primeiro querem o tudo, para depois fazer o bem. Só que esse tudo nunca é suficiente. Portanto, nunca procuram o Reino.

Hélio Couto

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Realização Pessoal



As vezes a gente precisa plantar durante um bom tempo. 
E acreditar com toda a convicção que o sonho pode dar certo. 
A satisfação de um sonho realizado compensa todos os passos falsos dados no meio do caminho. 
Porque até os passos falsos ajudam a gente a lutar com mais força pelos nossos sonhos! 
E quanto maior a luta, quanto mais difícil o caminho, mais valorizamos a vitória! 
A realização pessoal é um dos presentes mais importantes da vida. 
E só pode ser presenteado por nós mesmos!

Carolina Carvalho | ByNina

Po Ema | ByNina


Compartilhe a vontade! Se for copiar cite a autoria: ByNina


sábado, 8 de junho de 2013

Dia sem namorados


Tive muitos amores.
E me orgulho de ter me entregado a cada um deles.

Se nesse dia me falta um amor para comemorar, então brindo todos os amores que eu tive.

Nunca temi o amor. Sempre temi quem tem medo dele.
Minha intensidade em amar sempre foi proporcional a minha facilidade em desapegar.
Sofri desesperadamente por muitos deles.
Mas sofri mais ainda por ter alimentado fantasias falsas em cima dos meus amores.

Meus erros sempre foram iguais:
Ser romântica demais.
Confiar demais.
Criar expectativas demais.
Desejar demais.

Terminei relacionamentos ainda amando.
Prolonguei relacionamentos sem amar.
Fui muito amada por muitos amores,
mas fui também usada, traída e enganada.

Amei cada amor.
Sempre inteira.
Sempre entregue.
E sempre eu.

Amei sem conhecer. Amei sem receber.
Amei com loucura. Amei com paixão.
Amei com egoísmo. Amei com ternura.
Amei pura. Amei também com luxúria.

E não foram poucas as vezes que me apaixonei.

Meu coração tem um problema, ele reinicia a cada nova paixão.
Deleta o passado e sente tudo de novo,
mas diferente e único como se fosse a primeira vez.
E meu coração fica cego,
porque é romântico demais,
confia demais,
cria expectativas demais
e deseja demais.
Quando se trata de amor, só sei pensar com o coração.

Esses meus erros nem quero mudar.
Mas em uma coisa posso melhorar:
Sou ansiosa demais.

Não imagino um amor sem confiança, sem romance, expectativas e desejo.
Minhas expectativas construo em cima do que a pessoa demonstra ser.
E se vejo que não é, desapego fácil.
Se mente, fujo rápido.
Se dispensa romance, não me seduz.

Mas se sofro, me recupero.
Se surto, me recomponho.
Se falo, me exagero.
Se sumo, me silencio.

Se nesse dia me falta um amor para comemorar, brindo os amores que vivi.
E brindo também os que vou viver.

Carolina Carvalho | ByNina






quinta-feira, 16 de maio de 2013

Pensamento do Dia


* Ao compartilhar a imagem ou a frase cite sempre o nome do autor. 

Tão louco quanto nós - RUMI



O mundo não é nada. Nós não somos nada. 
Nossa vida neste mundo não é nada além de sonhos e imagens. 
Sendo assim, por que continuar lutando? 
Se a pessoa que está sonhando sabe que está sonhando 
Por que sofrer com os pesadelos? 

Você me concedeu tantos favores 
Que me sinto tentado a pedir por mais. 
Como Moisés quando ouviu a voz de Deus 
E desejou ver sua face. 

Eu irei oferecer meu coração para aquele que 
está doente da mesma doença. 
Os doentes podem beber a mim como se eu fosse um elixir. 

Eu me pareço com um falcão doente 
Preso à terra por causa de sua doença. 
Não pertenço mais às pessoas da terra 
Nem sou capaz de voar para o céu. 

Oh pobre falcão 
Como você pode viver com estes corvos? 
Você foi hipócrita 
Fechando seus olhos para o amor 
Enquanto o fogo brilhava em seu coração 
Como você pode esconder o amor quando as lágrimas 
Fluem de seu coração como cachoeiras? 

A morte é um tipo diferente de vida para o Senhor 
A alma se torna calma e tranqüila 
A morte é união e não tortura e sofrimento 
É diferente da do ignorante 
Que morre todo o tempo 

Seja como o sol pela graça e misericórdia 
Seja como a noite para cobrir as faltas dos outros 
Seja como a água corrente pela generosidade 
Seja como a morte para a raiva e o ódio 
Seja como a terra pela modéstia 
Pareça ser aquilo que você é 
Seja aquilo que você parece ser 

Medindo seu amor, eu fui medido 
Vestindo seu amor, eu fui vestido 
Não posso viver os dias nem dormir de noite 
Para ser seu amigo 
Tornei-me inimigo de mim mesmo.

Se você pudesse livrar-se de si mesmo 
Apenas uma vez 
O segredo dos segredos se abriria para você. 
A face do desconhecido 
Oculto além do universo 
Apareceria no espelho de sua percepção.

Primeiro ele me ofereceu uma centena de favores 
Então me dissolveu no fogo da tristeza 
Depois ele me selou com o selo do amor. 
Eu me transformei nele 
Então ele expulsou meu eu de mim. 

Pergunte para mim sobre um amor 
Que o leva para a total insanidade 
Coisas como perder a vida ou a mente 
Uma aventura de centenas de longos dias 
Pergunte sobre o fogo e o sangue 
De centenas de desertos. 

Na verdade, sua alma e a minha são a mesma 
Este é o real significado de nossa relação 
Entre nós não existe mais eu e você. 

Acredite em mim. Tudo o que aparece 
são as sombras e imagens. 
A mão que as desenha é a mão do senhor 
Esta magnificente mentira não alcança 
A magnificente verdade 
O conhecido existe por causa do desconhecido. 

Eu sou um rio 
Você é o meu sol 
Você é o remédio 
Do meu coração ferido 
Eu voo ao seu lado, na calmaria. 
Eu sou a agulha 
Você, o meu magneto. 

Os ferimentos que você inflige são melhores 
que o carinho dos outros 
Sua cobiça é mais graciosa 
que a generosidade dos outros. 
Seu tormento cura mais 
que o consolo dos outros 
Sua maldição é mais desejada 
que a oração dos outros. 

A pessoa não ama 
A menos que ilumine sua alma 
Ele não é um amante 
A menos que gire como estrelas ao redor da lua 
Ouça. As folhas não se movem sem vento.

Você não pode nos ver com este espelho velho 
Você não nos pode manter nesta casa emprestada 
Você não pode prender uma pessoa 
Cuja algema é o cabelo dele. 

Se você olhar cuidadosamente, verá 
que cada partícula no ar 
Feliz ou triste está mergulhada 
Dentro do sol do Universo Absoluto 
Cada partícula está tão bêbada e louca quanto nós. 

União … é o jardim do Paraíso 
Separação .. é o sofrimento do Inferno 
O amor permanente no universo 
Sempre permanece coberto 
E torna nu aquele que está coberto 
Este é o ponto sutil. 

Oh alma, quem é o seu amor? Você sabe? 
Oh coração quem está dentro de você? Você sabe? 
Oh carne, você busca um caminho para escapar 
de forma desonesta. 
Quem está puxando você para Ele? 
Olhe. Quem está buscando por você? 

O universo estava repleto de milagres. 
O orvalho do amor estava misturado com a argila humana 
Centenas de sacrifícios por amor 
Entraram nas veias da alma e produziram uma única gota 
Que é chamada de coração 

Oh Amado, estamos mais próximos de você que o Amor. 
Somos o solo no qual você anda 
É razoável, na crença do amor, 
Ver todos os universos através de você 
Mas não ver você? 

É necessário maturidade para o caminho do amor. 
É necessário estar fora dos problemas da terra. 
Curar a própria cegueira. 
A verdade preenche o universo 
Você tem olhos para vê-la? 

Eu colhi uma rosa rapidamente 
Com medo do Jardineiro. 
Então, ouvi sua voz suave 
"Qual o valor de uma rosa? 
Dei a você todo o jardim".

Eu desejo ir para longe, 
Centenas de milhas da mente. 
Desejo me libertar do bom e do mal. 
Quanta beleza por trás dessa cortina! 
Aqui está meu ser real. 
Oh ignorantes, 
é por mim mesmo que desejo estar apaixonado. 

Não posso dormir enquanto estou com você 
por causa de seu amor. 
Não posso dormir sem você 
porque choro e grito. 
Permaneço acordado em ambas as noites 
Mas que diferença entre elas. 

Este vale é diferente 
Para além de religiões e cultos. Aqui, quietamente, abaixe sua cabeça 
Mergulhe nas maravilhas de Deus 
Aqui, não há salas para religiões ou cultos. 

No começo, enquanto consolava a mim mesmo 
com seu amor, 
Os vizinhos não podiam dormir 
por causa do meu lamento. 
Agora, meus lamentos cessaram. 
Meu amor aumentou 
e como fumaça, desapareço 
quando o fogo crepita. 

Ele é o Todo e o Nada 
Ele criou alegria e tristeza 
Por que você não percebe 
Que você não é nada além dele? 

Da luz divina do céu 
Nossa graça e beleza fez os anjos sentirem ciúmes. 
Algumas vezes os espíritos superiores invejam 
Nossa pureza e claridade 
Algumas vezes o diabo sente medo de nossos vícios. 

Oh sol, apareça. As partículas estão dançando. 
Eu vejo espíritos sem cabeça e sem pés 
dançando em êxtase. 
Alguns dançam nas cúpulas do céu. 
Chegue perto. 
Eu lhe direi para onde eles estão indo. 

Quem é mais miserável 
Que um amante impaciente? 
Este amor é uma doença 
sem remédio ou fantasia. 
A cura do amor 
não é nem a hipocrisia e nem a moderação. 

Gostaria de falar com você sem usar palavras 
Gostaria de dizer segredos em seu ouvido. 
Mesmo se dissesse essas coisas entre estranhos 
Nenhum deles me entenderia. 

Oh, aquele que não conhece a essência interior 
Aquele que orgulha-se e gosta da própria pele 
Acorde seus sentidos. Existe um amor 
No interior de sua alma. 
A percepção é a essência de seu corpo. 
A alma é a essência de sua percepção. 
Mas se você for para além do corpo, percepção e da alma 
Tudo se transformará nele. 

Oh, amor, todos estão despertos 
com seu despertar 
Todos os que dormem 
Dormem na sua porta da Graça 
Não há outro Secreto além de ti. Oh razão, vá embora. 
Não há sábios aqui. 
Mesmo se você se tornar um pequeno fio de cabelo, 
Não haverá lugar para você. 
É de manhã agora. 
Qualquer vela que você queimar 
Ficará constrangida frente à luz do sol. 

O destino não está sob o controle do nosso coração. 
Ser é o meio de alcançar o não-ser 
Há alguém que nos olha 
Por detrás da cortina. 
Na verdade, não estamos aqui. 
Esta é nossa sombra.

Alguém dentro de sua respiração 
Também lhe dá a respiração, promessas de União. 
Respire com ele até sua última respiração. 
Ele lhe deu isto por causa de sua doçura e graça, 
não como uma piada. 

Não seja indolente e permaneça distante. 
Venha. Junte-se a nós. 
Uma pessoa sem trabalho come ou dorme. 
Aqui está a música. Aqui está o Samá. 
Venha. Junte-se a nós. 

"Quem é o Uno?" eu perguntei 
"Aquele que adiciona alma às nossas almas, 
Confere a vida através das estrelas?' 
Às vezes ele cobre nossos olhos como os de um falcão 
Às vezes ele nos lança depois da presa. 

Existe uma alma dentro de sua alma. 
Busque por ela. 
Existe uma jóia na montanha que é seu corpo. 
Olhe para a mina que contém essa jóia. 
Oh sufi andarilho 
Busque dentro de você e não fora. 

"Voarei como uma pomba de suas mãos". 
"Se você voar, você merecerá ser 
preso com minha mágoa", ele respondeu. 
Eu disse, "Estou cansado e fraco 
Morrendo em seu amor". 
"A morte será uma honra para você", ele disse, 
"Se você morrer com meu amor". 

A fé na religião do amor é diferente. 
A embriaguez do vinho do amor é diferente. 
É diferente de tudo o que você aprende na escola. 
É diferente de tudo o que você aprende sobre o amor. 

Você tem sido escravo de frios invernos, 
Vivendo afastado do rouxinol e dos jardins de rosas. 
Acorde! Este é o momento. Se você o perder, ele nunca irá retornar. 

No Dia do Julgamento 
Muitas pessoas irão se aproximar 
Com as faces aterrorizadas pelo medo. 
Eu irei colocar teu amor à minha frente 
E pedirei que ele preste contas. 

No amor não há alto ou baixo, 
nem mal comportamento ou bom comportamento, 
Nem líder, nem seguidor, nem devoto; 
Apenas indiferença, tolerância e desistência. 

O Amado caminha em lugares solitários 
onde os amantes perambulam. 
O devoto reza nas contas de seu rosário. 
Um dorme na beirada da água. 
Outros ajoelham-se por um pedaço de pão. 
Eles sofrem de sede e fome. 

Estamos felizes mesmo se não temos vinho e copo. 
Estamos felizes se nos chamam de bons ou maus. 
"Não haverá fim para eles", dizem de nós. 
Estamos preenchidos de alegria por não termos fim. 

Venha para o jardim na primavera 
Ali existe luz e casais de namorados por entre as flores de romã. 
Se você não vier, estas coisas não interessam. 
Se você vier, estas coisas não interessam. 

Quando perco seus lábios, 
Eu beijo a pedra vermelha do anel. 
Se seus lábios não estão por perto, eu beijo o anel. 
Se não posso alcançar seu céu, 
Eu me ajoelho e beijo o chão. 

Quem não tem o ser completamente aniquilado 
não pode ser aceito em União. 
A União não é a encarnação de Deus no homem. 
União é a auto-aniquilação. 

Tudo em volta está verde. As flores estão em todos os lugares. 
Todas as partículas sorriem refletindo a Beleza. 
Tudo brilha como pedras preciosas. 
Amado e amante estão em união em todos os lugares. 

Feche seus olhos. Meu coração será um olho para você. 
Com este olho, outro mundo lhe será mostrado. 
Quando você decidir não ser vaidoso, 
Todos irão admirá-lo. 

Não sei quem se senta em meu coração 
Ou porque ele sorri para mim. 
Não sou mais eu mesma. 
Meu coração é como o ramo de uma rosa 
Que perdeu suas folhas na brisa da manhã.

Você é aquele que faz com que todas as minhas inquietudes desapareçam. 
Você faz com que o cedro, a rosa e o jardim se percam de si mesmos. 
A rosa está alegre. O espinho está embriagado. 
Dê a nós mais um copo, para que fiquemos todos iguais. 

Não há forma deste coração escapar de você. 
Oh, amor, você deve tomá-lo. 
Se a dor do amor não preenche este coração, 
não me importo se tenho um ou não. 

Meu amor me disse, "Você pede 
um beijo para tudo o que é belo. 
Por que não o pede para mim?" 
"Você gostaria de ouro?", eu perguntei. 
"Não", ele disse, "apenas sua vida". 

Meu coração está tão repleto de seu amor 
Que todo o resto desapareceu. 
Ele me fez esquecer dos livros, da ciência e da temperança. 
Ensinou-me apenas sobre o lirismo, poemas e métrica.

Quem procura por um jardim, encontra você. 
Quem pensa no vinho e na vela, ama você. 
Eles dizem, "O sono é alimento para o cérebro." 
Quem tiver visto o Amado, que importância dará para o cérebro?

Rumi

segunda-feira, 29 de abril de 2013

A Banalização do Sexo



Acredito que não exista nada tão forte e que dispense tanta energia quanto o sexo.
Quando o mesmo é feito com amor, com entrega total de ambos, posso chamar o mesmo de meditação a dois.
Porque ambos estão tão ligados um ao outro, que cessam os pensamentos, as preocupações, as perturbações mentais e tudo que existe ali é uma união tão profunda, que os dois se fundem em um só, e já não sabem onde um começa e o outro termina, porque acabou a dualidade e eles se tornaram um.
É só pensar na finalidade do sexo: gerar vidas, perpetuar a espécie. Toda essa energia criadora que deveria unir dois seres que se amam está minando.
Com tanto desperdício de energia, as pessoas vão ficando vazias, apáticas e infelizes. Começam a buscar outros tipos de satisfação: promiscuidade, drogas, bebida, remédios e outras muletas que compensem essa falta de amor. Que compensem essa energia toda que está faltando.
Não conheço uma mulher que não queira se sentir protegida, acolhida, segura, amada nos braços de um homem só. E por mais que o homem não se dê conta, acredito que tudo que ele deseje no fundo do coração é ser bem cuidado e amado profundamente por uma mulher, e só uma.
O resultado dessa entrega é plenitude, realização.
E ainda tem um bônus: o relacionamento se transforma em FAMÍLIA.
E família é o resultado dessa palavra tão bonita que se chama amor.
Pense nisso.
ByNina

segunda-feira, 15 de abril de 2013

O Sol e a Lua




Quando o SOL e a LUA se encontraram pela primeira vez,
se apaixonaram perdidamente
e a partir daí começaram a viver um grande amor.
Acontece que o mundo ainda não existia
e no dia que Deus resolveu criá-lo,
deu-lhes então o toque final... o brilho !
Ficou decidido também que o SOL iluminaria o dia
e que a LUA iluminaria
a noite, sendo assim,
seriam obrigados a viverem separados.
Abateu-se sobre eles uma grande tristeza
quando tomaram conhecimento
de que nunca mais se encontrariam.
A LUA foi ficando cada vez mais amargurada,
mesmo com o brilho que Deus havia lhe dado,
ela foi se tornando solitária.
O SOL por sua vez havia ganhado
um título de nobreza "ASTRO REI",
mas isso também não o fez feliz.
Deus então chamou-os e explicou-lhes:
Vocês não devem ficar tristes,
ambos agora já possuem um brilho próprio.
Você LUA, iluminará as noites frias e quentes,
encantará os enamorados
e será diversas vezes motivo de poesias.
Quanto a você SOL, sustentará esse título
porque será o mais importante dos astros,
iluminará a terra durante o dia,
fornecerá calor para o ser humano
e a sua simples presença fará as pessoas mais felizes.
A LUA entristeceu-se muito com seu
terrível destino e chorou dias a fio...
já o SOL ao vê-la sofrer tanto,
decidiu que não poderia deixar-se
abater pois teria que dar-lhe forças e ajudá-la
a aceitar o que havia sido decidido por Deus.
No entanto sua preocupação era tão grande
que resolveu fazer um pedido a ELE:
Senhor, ajude a LUA por favor,
ela é mais frágil do que eu,
não suportará a solidão...
E Deus em sua imensa bondade criou então
as estrelas para fazerem companhia a ela.
A LUA sempre que está muito triste
recorre as estrelas que fazem de tudo
para consolá-la, mas quase sempre não conseguem.
Hoje eles vivem assim... separados,
o SOL finge que é feliz, a LUA não
consegue esconder que é triste.
O SOL ainda esquenta de paixão pela LUA
e ela ainda vive na escuridão da saudade.
Dizem que a ordem de Deus era que a LUA
deveria ser sempre cheia e luminosa,
mas ela não consegue isso....
porque ela é mulher, e uma mulher tem fases.
Quando feliz consegue ser cheia,
mas quando infeliz é
minguante e quando minguante nem sequer
é possível ver o seu brilho.
LUA e SOL seguem seu destino,
ele solitário mas forte,
ela acompanhada das estrelas, mas fraca.
Humanos tentam a todo instante conquistá-la,
como se isso fosse possível.
Vez por outra alguns deles vão até ela
e voltam sempre sozinhos, nenhum deles
jamais conseguiu trazê-la até a terra,
nenhum deles realmente conseguiu conquistá-la,
por mais que achem que sim.
Acontece que Deus decidiu que
nenhum amor nesse mundo seria de todo
impossível, nem mesmo o da LUA e o do SOL...
e foi aí então que ele criou o eclipse.
Hoje SOL e LUA vivem da espera desse instante,
desses raros momentos que lhes foram concedidos
e que custam tanto a acontecer.
Quando você olhar para o céu a partir de agora
e ver que o SOL encobriu a LUA
é porque ele deitou-se sobre ela e começaram a se amar
e é ao ato desse amor que se deu o nome de eclipse.
Importante lembrar que o brilho
do êxtase deles é tão grande que
aconselha-se não olhar para o céu nesse momento,
seus olhos podem cegar de ver tanto amor.
(Silvana Duboc)


*Dedicado ao meu amor!

domingo, 14 de abril de 2013

A Mulher Esqueleto | Clarissa Pinkola Estés





"A Mulher-Esqueleto é uma história de caça a respeito do amor. Nas histórias do norte, o amor não é um encontro romântico entre dois amantes. As histórias são regiões próximas ao pólo descrevem o amor como a união entre dois seres cuja força reunida permite a um deles, ou a ambos, a entrada em comunicação com o mundo da alma e a participação no destino como uma dança com a vida e a morte."


"Para que se crie um amor duradouro, a Mulher-Esqueleto precisa ser aceita no relacionamento e abraçada pelos dois amantes. Aqui, nesta antiga história do povo inuit, estão os estágios psíquicos para o domínio desse abraço."

"Ela havia feito alguma coisa que seu pai não aprovava, embora ninguém mais se lembrasse do que havia sido. Seu pai, no entanto, a havia arrastado até os penhascos, atirando-a ao mar. Lá, os peixes devoraram sua carne e arrancaram seus olhos. Enquanto jazia no fundo do mar, seu esqueleto rolou muitas vezes com as correntes.

Um dia um pescador veio pescar. Bem, na verdade, em outros tempos muitos costumavam vir a essa baía pescar. Esse pescador, porém, estava afastado da sua colônia e não sabia que os pescadores da região não trabalhavam ali sob a alegação de que a enseada era mal-assombrada.

O anzol do pescador foi descendo pela água abaixo e se prendeu - logo em que! - nos ossos das costelas da Mulher-esqueleto. O pescador pensou: “Oba, agora peguei um grande de verdade! Agora peguei um mesmo!” Na sua imaginação, ele já via quantas pessoas esse peixe enorme iria alimentar, quanto tempo sua carne duraria, quanto tempo ele se veria livre da obrigação de pescar. E enquanto ele lutava com esse enorme peso na ponta do anzol, o mar se encapelou com uma espuma agitada, e o caiaque empinava e sacudia porque aquela que estava lá em baixo lutava para se soltar. E quanto mais ela lutava, tanto mais ela se enredava na linha. Não importa o que fizesse, ela estava sendo inexoravelmente arrastada para a superfície, puxada pelos ossos das próprias costelas.

O pescador havia se voltado para recolher a rede e, por isso, não viu a cabeça calva surgir acima das ondas; não viu os pequenos corais que brilhavam nas órbitas do crânio; não viu os crustáceos nos velhos dentes de marfim. Quando ele se voltou com a rede nas mãos, o esqueleto inteiro, no estado em que estava, já havia chegado a superfície e caia suspenso da extremidade do caiaque pelos dentes incisivos. - Agh! - gritou o homem, e seu coração afundou até os joelhos, seus olhos se esconderam apavorados no fundo da cabeça e suas orelhas arderam num vermelho forte.

Agh! - berrou ele, soltando-a da proa com o remo e começando a remar loucamente na direção
da terra. Sem perceber que ela estava emaranhada na sua linha, ele ficou ainda mais assustado pois ela parecia estar em pé, a persegui-lo o tempo todo até a praia.Não importava de que jeito ele desviasse o caiaque, ela continuava ali atrás.Sua respiração formava nuvens de vapor sobre a água, e seus braços se agitavam como se quisessem agarrá-lo para levá-lo para as profundezas.


Aaagggggghhhh! - uivava ele, quando o caiaque encalhou na praia. De um salto ele estava fora da embarcação e saia correndo agarrado a vara de pescar.E o cadáver branco da Mulher-esqueleto, ainda preso a linha de pescar, vinha aos solavancos bem atrás dele. Ele correu pelas pedras, e ela o acompanhou.Ele atravessou a tundra gelada, e ela não se distanciou. Ele passou por cima da carne que havia deixado a secar, rachando-a em pedaços com as passadas dos seus mukluks.

O tempo todo ela continuou atrás dele, na verdade até pegou um pedaço do peixe congelado enquanto era arrastada. E logo começou a comer, porque há muito, muito tempo não se saciava. Finalmente, o homem chegou ao seu iglu, enfiou se direto no túnel e, de quatro, engatinhou de qualquer jeito para dentro. Ofegante e soluçante, ele ficou ali deitado no escuro, com o coração parecendo um tambor, um tambor enorme. Afinal, estava seguro, ah, tão seguro, é, seguro, graças aos deuses, Raven, é, graças a Raven, é, e também a todo-generosa Sedna, em segurança, afinal.

Imaginem quando ele acendeu sua lamparina de óleo de baleia, ali estava ela - aquilo - jogada num monte no chão de neve, com um calcanhar sobre um ombro,um joelho preso nas costelas, um pé por cima do cotovelo. Mais tarde ele não saberia dizer o que realmente aconteceu. Talvez a luz tivesse suavizado suas feições; talvez fosse o fato de ele ser um homem solitário. Mas sua respiração ganhou um que de delicadeza, bem devagar ele estendeu as mãos encardidas e, falando baixinho como a mãe fala com o filho, começou a soltá-la da linha de pescar.


- Oh, na, na, na. - Ele primeiro soltou os dedos dos pés, depois os tornozelos.- Oh, na, na, na. - Trabalhou sem parar noite adentro, até cobri-la de peles para aquecê-la, já que os ossos da Mulher-esqueleto eramiguaizinhos aos de um ser humano.


Ele procurou sua pederneira na bainha de couro e usou um pouco do próprio cabelo para acender mais umfoguinho. Ficou olhando para ela de vez em quando enquanto passava óleo na preciosa madeira da sua vara de pescar e enrolava novamente sua linha de seda. E ela, no meio das peles, não pronunciava palavra - não tinha coragem - para que o caçador não a levasse lá para fora e a jogasse lá em baixo nas pedras, quebrando totalmente seus ossos.

O homem começou a sentir sono, enfiou-se nas peles de dormir e logo estava sonhando.Às vezes, quando os seres humanos dormem, acontece de uma lágrima escapar do olho de quem sonha. Nunca sabemos que tipo de sonho provoca isso, mas sabemos que ou é um sonho de tristeza ou de anseio. E foi isso o que aconteceu com o homem.

A Mulher-esqueleto viu o brilho da lágrima a luz do fogo, e de repente ela sentiu uma sede daquelas. Ela se aproximou do homem que dormia, rangendo e retinindo,e pôs a boca junto a lágrima. Aquela única lágrima foi como um rio, que ela bebeu,bebeu e bebeu até saciar sua sede de tantos anos.Enquanto estava deitada ao seu lado, ela estendeu a mão para dentro do homem que dormia e retirou seu coração, aquele tambor forte. Sentou-se e começou a batucar dos dois lados do coração: Bom, Bomm!... Bom, Bomm!

Enquanto marcava o ritmo, ela começou a cantar em voz alta.

- Carne, carne, carne! Carne, carne, carne!- E quanto mais cantava, mais seu corpo se revestia de carne.Ela cantou para ter cabelo, olhos saudáveis e mãos boas e gordas. Ela cantou para ter a divisão entre as pernas e seios compridos o suficiente para se enrolarem e dar calor, e todas as coisas de que as mulheres precisam.

Quando estava pronta, ela também cantou para despir o homem que dormia e se enfiou na cama com ele, a pele de um tocando a do outro. Ela devolveu o grande tambor, o coração, ao corpo dele, e foi assim que acordaram, abraçados um ao outro,enredados da noite juntos, agora de outro jeito, de um jeito bom e duradouro.

As pessoas que não conseguem se lembrar de como aconteceu sua primeira desgraça dizem que ela e o pescador foram embora e sempre foram bem alimentados pelas criaturas que ela conheceu na sua vida debaixo d'água.As pessoas garantem que é verdade e que é só isso o que sabem."

---------------------------------------------------


"Essa história é uma imagem adequada para o problema do amor moderno, o medo da natureza da vida-morte-vida, em especial do aspecto morte. Em geral grande parte da cultura ocidental, o personagem original da natureza da morte foi encoberto por vários dogmas e doutrinas até o ponto em que se separou de vez da sua outra metade, a vida. Fomos ensinados, equivocadamente, a aceitar a forma mutilada de um dos aspectos mais básicos e profundos da natureza selvagem. Aprendemos que a morte é sempre acompanhada de mais morte. Isso simplesmente não é verdade. A morte está sempre no processo de incubar uma vida nova, mesmo quando nossa existência foi retalhada até os ossos.

Em vez de considerar os arquétipos da morte e da vida como opostos, devemos encará-los juntos como o lado esquerdo e direito de um único pensamento. É fato que dentro de um único relacionamento amoroso existem muitos finais. Mesmo assim, de algum modo e em algum ponto na delicadas camadas do ser criado quando duas pessoas se amam, existe um coração e um alento. Enquanto um coração esvazia, o outro enche. Quando uma respiração termina, outra se inicia."

As primeiras fases do amor

A descoberta acidental do tesouro

"...creio que essa história tem seu valor quando é compreendida como uma série de sete tarefas que ensinam uma alma a amar outra profundamente. São elas a descoberta da outra pessoa como uma espécie de tesouro espiritual, muito embora a princípio não se perceba exatamente o que foi encontrado. Em seguida, na maioria dos relacionamentos, vem a caça e a tentativa de ocultação, um tempo de esperanças e receios para os dois lados. Depois, vem a tarefa de desenredar e compreender os aspectos da vida-morte-vida do relacionamento e a compaixão dessa tarefa. Segue-se a confiança que gera o relaxamento, a capacidade de descansar na presença do outro e da sua boa vontade, acompanhada de um período de compartilhamento dos sonhos futuros bem como de tristezas passadas, sendo esse o início da cura de ferimentos arcaicos relacionados ao amor. Finalmente, o uso do coração para fazer brotar uma nova vida e a fusão do corpo e da alma."

"Repetidas vezes observo um fenômeno em amantes, independente do sexo. Seria mais ou menos assim: duas pessoas começam uma dança para ver se elas vão querer se amar. De repente, a Mulher-esqueleto é fisgada por acaso. Algo no relacionamento começa a diminuir e cai em entropia. Com frequência, o doloroso prazer da excitação sexual se abranda, um passa a perceber o lado frágil e ferido do outro, ou ainda um deixa de ver o outro como 'material digno de admiração', e é aí que a velha careca e de dentes amarelos vem à tona."


A perseguição e a tentiva de se ocultar

"A fase de correr e de se esconder é o período no qual os amantes tentam racionalizar seu medo dos ciclos de amor da vida-morte-vida. Eles dizem 'Posso me dar melhor com outra pessoa', 'Não quero renunciar a meu (preencha a lacuna) _____', 'Não quero mudar a minha vida', 'Não quero encarar minhas feridas, nem as de ninguém mais', 'Ainda não estou pronto' ou ainda 'Não quero ser transformado sem primeiro saber nos ínfimos detalhes como vou ficar/me sentir depois.'

É uma fase em que os pensamentos ficam todos confusos, quando se quer procurar um abrigo a todo custo e quando o coração bate, não tanto por amar ou por se sentir amado, quanto por um terror humilhante. Ser encurralado pela Morte! O horror de enfrentar a força da vida-morte-vida pessoalmente! Ai, ai!"

"Pois nesse ponto A Morte persegue o homem pelas águas, cruzando a fronteira entre o inconsciente e a terra firme da mente consciente. A psique consciente percebe o que fisgou e tenta desesperadamente correr mais do que a presa. Constantemente agimos assim nas nossas vidas. Algo de apavorante mostra sua cara. Nós não estamos prestando atenção e continuamos a puxar a linha, imaginando se tratar de uma boa pesca. É um achado, mas não do tipo que estávamos imaginando. É um tesouro que infelizmente aprendemos a temer. Por isso, tentamos fugir ou jogá-lo de volta; tentamos embelezá-lo ou torná-lo o que não é. Isso, porém, nunca funciona. No final todos temos de beijar a megera."


Desembaraçando o esqueleto

"O pescador demonstra sua boa intenção, sua força e seu envolvimento crescente com a Mulher-esqueleto ao desemaranhá-la. Ele olha para ela toda dobrada para um lado e para outro e vê nela um vislumbre de algo, ele nem sabe de quê. Ele havia fugido dela, ofegante e soluçante. Agora ele cogita tocar nela. Só por existir, ela de algum modo está tocando o coração do pescador. Quando compreendermos a solidão da natureza da vida-morte-vida, que é constantemente rejeitada, embora não por culpa sua... então talvez possamos nos sentir tocados pelo seu sofrimento.

Se for ao amor que estivermos nos dedicando, muito embora nos sintamos apreensivos ou assustados, estaremos dispostos a desembaraçar a linha dos ossos da natureza da morte. Estaremos dispostos a tocar o não-tão-belo no outro e em nós mesmos."

"Desemaranhar a Mulher-esqueleto é começar a quebrar o encanto -ou seja, o medo de sermos consumidos, de morrermos para sempre. Em termos arquetípicos, desemaranhar algo é empreender uma descida, seguir por um labirinto, penetrar no mundo subterrâneo ou no lugar em que as coisas são reveladas de uma forma inteiramente nova, ser capaz de acompanhar um processo complexo. Nos contos de fadas, soltar a faixa, desfazer o nó, desemaranhar e desenredar representam começar a entender algo, a entender suas aplicações e usos, a se tornar um mago, uma alma sábia."


O sono da confiança

"Nesse estágio do relacionamento, o amante volta ao estado de inocência, estado no qual ele ainda se amedronta com os elementos emocionais, no qual ele está cheio de desejos, esperanças e sonhos. A inocência é diferente da ingenuidade. No interior existe um ditado: 'A ignorância é não saber nada e ser atraído pelo bem. A inocência é saber tudo e ainda assim ser atraído pelo bem'.

Vejamos até onde chegamos. O pescador-caçador trouxe a natureza da vida-morte-vida para a superfície. Contra sua própria vontade, ele foi 'perseguido' por ela; mas ele também conseguiu encará-la. Sentiu pena do seu estado emaranhado e a tocou. Tudo isso o leva a uma participação plena. Tudo isso o leva a uma transformação, ao amor.

Embora a imagem do sono possa indicar o inconsciente, nesse caso ele simboliza a criação e a renovação. O sono é o símbolo do renascimento. Nos mitos da criação, as almas adormecem enquanto se realiza uma transformação de uma duração determinada, pois no sono nós nos recriamos, nos renovamos."

"Existe uma prudência que é verdadeira, quando o perigo está por perto, e uma prudência que não tem justificativa e que se origina de algum ferimento anterior. Esta última faz com que os homens ajam de modo irritadiço e desinteressado mesmo quando eles sentem que gostariam de demonstrar carinho e afeto. As pessoas têm medo de 'ser ludibriadas' ou de 'entrar num beco sem saída' - ou que não param de voiciferarseus direito de querer 'ser livre' - são as que deixam o ouro escapar por entre os dedos."

"Às vezes não existem palavras que estimulem a coragem. Às vezes é preciso simplesmente mergulhar. Tem de haver em algum ponto da vida de um homem um período em que ele confie na direção que o amor o levar, em que ele tenha mais medo de ficar confinado a algum leito rachado do rio seco da psique do que de estar solto num território exuberante porém inexplorado. Quando uma vida é excessivamente controlada, cada vez há menos vida a controlar.

Nesse estágio de inocência, o pescador volta a ser uma alma criança, pois no seu sono ele está ileso e não existe a recordação do que aconteceu ontem ou antes. No seu sono, ele não está lutando para assumir algum lugar ou posição. No sono, ele se renova."

"A única confiança necessária é a de saber que, quando ocorre um final, vai surgir um novo começo."
As fases posteriores do amor

O coração como tambor e o canto para criar a vida

"
Quando a Mulher-esqueleto se vale do coração do pescador, ela está usando o centro motor da psique interna, o único órgão de real importância, o único capaz de gerar sentimento puro e inocente. Diz-se que é a mente que pensa e cria. Essa história afirma o contrário, que é o coração que pensa e convoca as moléculas, átomos, sentimentos, anseios e o que mais seja necessário, até o único lugar a fim de gerar a matéria que realize a criação da Mulher-esqueleto.

A história contém uma promessa: permita que a Mulher-esqueleto se torne mais palpável na sua vida, e ela em troca engrandecerá sua vida. Quando a libertamos como mestra e amante, ela passa a ser uma aliada e uma parceira."

"Quando um homem entrega seu coração por inteiro, ele se torna uma força espantosa - ele se torna uma inspiração, papel que no passado era reservado apenas às mulheres. Quando a Mulher-esqueleto dorme com ele, ele se torna fértil. Ele é investido com poderes femininos num meio masculino. Ele passa a levar as sementes da nova vida e das mortes necessárias. Ele inspira novos trabalhos a si mesmo, mas também àqueles que estão por perto."


A dança do corpo e da alma
"Às vezes aquele que está fugindo da natureza da vida-morte-vida insiste em pensar que o amor é apenas uma dádiva. No entanto, o amor em sua plenitude é uma série de mortes e de renascimentos. Deixamos uma fase, um aspecto do amor, e entramos em outra. A paixão morre e volta. A dor é espantada para longe e vem à tona mais adiante. Amar significa abraçar e ao mesmo tempo suportar inúmeros finais e inúmeros recomeços - todos no mesmo relacuionamento."

"Para fazer amor, se queremos amar, bailamos con La Muerte, dançamos com a Morte. Haverá enchentes, haverá secas; haverá recém-nascidos, natimortos e ainda renascimento de algo novo. Amar é aprender os passos. Fazer amor é dançar a dança."

"Nessa história há duas transformações, a do caçador e a da Mulher-esqueleto. Em termos modernos, a transformação do caçador sera mais ou menos como o que se segue. A princípio, ele é o caçador inconsciente. 'Oi, sou só eu. Estou pensando e cuidando da minha vida.' Depois ele passa a ser o caçador assustado, em fuga. 'O quê? Você me quer? Bem, acho que está na hora de eu ir andando.' Mais tarde, ele reconsidera, começa a desenredar seus sentimentos e descobre um meio de se relacionar com ela. 'Parece que a minha alma é atraída por você. Quem é você, no fundo? Qual é a sua estrutura?'

Em seguida, ele adormece. 'Vou confiar em você. Vou me permitir expôr minha inocência.' Com isso, sua lágrima de sentimento profundo é revelada e alimenta a Mulher-esqueleto. 'Esperei muito tempo por você.' Seu coração é emprestado para criá-la por inteiro. 'Pronto, tome meu coração e conquiste a vida na minha vida.' E assim o caçador-pescador é recompensado com o amor. Essa é a trsnformação típica de uma pessoa que aprende a amar."

"Deduzimos da história que a doação do corpo é uma das últimas fases do amor. É assim que deve ser. É bom dominar os primeiros estágios do encontro com a natureza da vida-morte-vida e deixar para depois as experiências práticas do corpo-a-corpo. Advirto as mulheres para que não aceitem um amante que salte de uma fisgada acidental para a doação do corpo. Insistam no cumprimento de todas as fases. Assim, a última fase virá por si só. A ocasião para a união dos corpos chegará na hora certa."

Clarissa Pinkola Estés | Mulheres que Correm com os Lobos

Minha foto foi a mais votada no YOGA TRAIL

Minha foto foi a mais votada no YOGA TRAIL
Obrigada a todos por votarem!

ATENÇÃO

Muitas imagens do BLOG são fonte de pesquisa na internet.
As imagens que incluem o @bynina na lateral são criadas por mim, geralmente pego frases de outros autores, citando o mesmo e imagens de fundo disponíveis na internet.
Todas as frases e pensamentos com a assinatura BYNINA embaixo são de minha autoria.
Lembre-se sempre de citar a fonte quando compartilhar.
E se alguma imagem tiver direitos autorais, entre em contato comigo através do e-mail bynina@gmail.com que cito o autor ou retiro imediatamente.
Obrigada pela compreensão!

Carolina Carvalho
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...